domingo, 12 de março de 2017

MINHA TRANSIÇÃO CAPILAR | UM POUCO DA MINHA HISTÓRIA

 Olá pessoal!


Hoje é o meu aniversário, e eu to inspirada, então senta ai, e vem conhecer um pouquinho da minha história com meus cachos.

Bom eu venho de uma mistura, de um lado a família do meu pai que é negra e a família da minha mãe que é descendente de índio (a minha biza era índia de verdade). Eu me identifico como negra, por fatos, como cor de pela, cabelo, características físicas da minha família por parte de pai, etc. Essa aceitação foi, e ainda é muito natural, e isso é visível durante toda a minha vida, essa aceitação me faz ser mas forte, e me faz enfrentar desafios cotidiano. E foi justamente essa aceitação de identidade que me fez refletir a alguns anos a traz, o porque eu estava alisando o meu cabelo, e não usando-o natural. Então vamos a minha historia...

Eu não lembro da textura do meu cabelo antes dos meus 8 anos, mas minha mãe dizia que quando eu era mas nova meu cabelo era indomável (kkk). Quando olho por fotos ele não parece ter a textura atual, parece está mas macio.





 


   Por volta dos meus 09 para 10 anos eu começo a me lembrar da textura. 
   E bem parecida com a atual. A diferença e que ao pentear eu passava a escova no cabelo e deixava secar sem mexer.
   Mas nessa época teve uma novela em que a Tais Araújo foi a protagonista e ela esta simplesmente linda e natural na telinha. Essa aparição da atriz mexeu comigo como pessoa e como mulher, a partir daí, comecei a deixar os meus cachos como o dela bem cheio e natural, e não é que fiquei linda. Esse processo de começar a minha aceitação com toda certeza me deixou mas confiante. 

Infelizmente não achei fotos dessa época.

   Mas nesse período nos tivemos um congresso na minha igreja e a minha mãe decidiu relaxar a raiz pra ficar mais fácil para me virar lá sozinha. 
   Voltando do congresso fui lavar o cabelo pra ver como tinha ficado, foi quando vi que a raiz estava lisa e o restante do cabelo cacheado, isso acabou comigo. Então resolvi alisar tudo de vez.











   Passando os anos, a raiz foi crescendo e fui cortando o cabelo. 
   Até que eu dia fui lavar o cabelo e o meu shampoo e condicionador havia acabado, e o que tinha no banheiro era o da minha mãe. E claro que use. Passei o shampoo e o cabelo começou a cair, até ai achei normal porque quando lavo o cabelo e costuma a sair bastante fios, mas quando eu passei o condicionador para desembaraçar, ai eu entrei em panico. Meu cabelo começou a cair e sair em mexas muito grande.
   A parti desse momento eu cortei o cabelo bem curtinho, e por um tempinho comecei a usar o babyliss.




   Mas preciso confessar que esse foi um momento muito difícil. E pra "piorar" esse fato aconteceu próximo ao meu casamento. 
   Planejei um cabelo com babyliss, e uma flor que combinaria com o vestido, mas a pessoa que iria fazer o meu cabelo chegou muito atrasada. E pra minha insatisfação, me casei de coque. Mas nem tudo e como planejamos, e tirando isso, o meu casamento foi lindo e abençoado...




   Depois que me casei, eu passei por uma depressão, causada por um turbilhões de coisas, como o estrese do casamento, o cabelo não estava legal, eu pedi demissão do meu emprego pra me dedicar a faculdade, etc.
   Mas graças a Deus, graças a Ele realmente. Como todos sabem, eu sou evangélica, e esse meio que eu convivo me ajudou muito. Mas Deus e tão perfeito em tudo que faz, que colocou a Ray, sim a famosa Rayza Nicácio, na minha vida. Pra quem não conhece essa mulher, ela e blogueira, e fala sobre a aceitação do cabelo natural, que ainda não conhece e ser, o que eu acho quase que impossível, precisa ir lá no canal, blog e rede social dela. As receitinhas caseiras e produtinhos bom e baratos indicados por ela me ajudaram muito a passar um pouco mais leve por essa época.
   Mas a minha família, os que me viam todos os dias, o meu esposo paciente e amoro, a minha mãe que aturava o meu mal humor, meu irmão. Gente sem vocês e Deus eu hoje não seria o que eu sou.






                                           





Mas hoje, eu sou uma pessoa com identidade e que aceita a sua natureza. 
Me olho no espelho e a auto estima esta lá em cima. 































   E se você esta passando por uma situação parecida com a minha, me conta, pode ser por email, nos comentários nas minhas redes sociais, porque eu quero saber.

Estou esperando a sua historia.
Grande beijo!

Lay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário